Total de visualizações de página

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Assim


Assim acontece a vida em poesia...
Realidade mistura-se com a fantasia
Cria-se amores que assumem matéria e vivem em nós
Floresce em nossa mente como sementes geminadas
Fixa-se sentimentos persistentes na mente com avidez
Rouba você do tudo que é nada mais de uma vez
Nada mais é tão importante e atraente
Embriagante as palavras de carinho nos domina
Embaraçante é amor e desejo que alucina
Imaginamos o caminho com a língua em fogo
Á luz de velas escrevemos romance meio bobo
Na ponta da pena sempre tem mais um lace um novo jogo
Flores deixam as arandelas das varandas amiúde
Milhões de vezes repetimos e repetimos a mesma atitude
A virtude está em olhar as violetas e achá-las ainda mais perfeitas
Enfeitar os portais dos sonhos com guirlandas e borboletas
Fazer das janelas umbrais giganstescos
Almas são perfumadas com flores de pêssegos
Águias riscam os céus como imensos arabescos
Lágrimas viram vitrais de diamantes
E palavras sofismas ...
Sob o olhar de prima dos sempre amantes...

Son Dos Poemas 


Era

E então era a era de poema...
Não sabiam como explicar
Não havia explicação
De onde se conheciam?
De que tempo?...De quê lugar?
Qual o vento que os transportara
Feito folhas de outono esvoaçantes
Repousando seus sorrisos diferentes...
Fazendo se cruzarem pelos ares do sempre
Dois corações com essência de poesia no ventre
Duas folhas amarelecidas pelo tempo...
Há quatro pés caminhando contra o vento
Duas almas amanhecidas se encontraram
Pintou o clima infinito o mais bonito diamante
Em furta-cores se contemplaram no horizonte 
Á sombra da lua refletiu rosas e nuances
Dois corações em amor alinhados...



Son Dos Poemas