Total de visualizações de página

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

CHUVA



Chuva

Poema demolhado em água de cheiro
Céu em movimento prevê chuva
Profecia tempestade sobre as parreiras
Anuncia sóis em negrito nas gavinhas d'uvas
Águas de alívio ou desespero conciso
Luares molhados capins umectados 
Chuva cadenciada é alento preciso
O repente insistente no toque do telhado
O sono vence a insônia gotejante
Despi a claridade e calça as corredeiras
Pinta o olhar de mais de cinquenta tons
De acinzentando até a cor de madeira
Sobre as laranjeiras, folhas d'vento, trovão...
Uma chuva de inspiração
Um suspiro e tudo escoa e momentos vão...


Son Dos Poemas

Nenhum comentário:

Postar um comentário